Mente

Existência e Consciência

A existência (o fato ou estado de ser continuado ) é axiomática (o que significa que não se apóia em nada para ser válida e não pode ser provada por nenhuma premissa “mais básica” ) porque é necessária para todo conhecimento e não pode ser negado sem conceder sua verdade (a negação de algo só é possível se existe existência). “A existência existe” é, portanto, um axioma que afirma que existe algo , em oposição a nada .

A consciência é a faculdade que percebe e identifica as coisas que existem. Em sua famosa formulação “Cogito ergo sum” (“Eu penso, logo existo”), René Descartes argumentou que a consciência é axiomática , porque você não pode negar logicamente a existência de sua mente ao mesmo tempo em que usa sua mente para negar.

No entanto, o que Descartes não deixou claro é que a consciência é a faculdade que percebe o que existe , por isso requer algo fora de si para funcionar: requer e depende da existência . A primazia da existência afirma que a existência é primária e a consciência é secundária , porque não pode haver consciência sem algo existente para perceber. A existência é independente , torna possível e é um prérequisito da consciência. A consciência não é responsável por criar realidade: é completamente dependente da realidade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo